27 maio 2014

GARDEL FILHO

Peu é uma estrela agora, sempre foi.

Tive a oportunidade de acompanhar a evolução do artista desde quando a Banda Dois Sapos e Meio ainda era um embrião, os caras ensaiavam no condomí­nio onde eu morava. Certa vez, escutei um conhecido riff de guitarra, desci e fui conferir o que estava produzindo aquele poderoso som, era Peu.

Na vigorosa efervescência da cena musical dos anos 90, em Salvador, nunca perdi um show da Banda. Peu era de longe o melhor guitarrista, virtuosidade pura, um artista nato, ficava solto no palco… Não restavam dúvidas, pelo menos para mim, que aquele músico ia fazer sucesso.

Toda vez que via Peu na TV eu ficava feliz, uma sensação legal… O engraçado era o paradoxo de encontra-lo, no bairro onde morávamos, voltando andando do Extra, cheio de sacolas, filha no colo… Oferecia carona, ele entrava no carro e o papo era música, numa dessas caronas ele me disse que sonhou que o nome dele artí­stico era SONIC PETERSONG, não sei por que, mas esse nome jamais me saiu da cabeça…

A tristeza se transforma em saudosismo. Peu é uma estrela agora, sempre foi.

ESTUDO PARA PRIMEIRO ALBUM Nº3 // Single
  1. ESTUDO PARA PRIMEIRO ALBUM Nº3 // Single
  2. ESTUDO PARA PRIMEIRO ALBUM Nº2 // Single
  3. ESTUDO PARA PRIMEIRO ALBUM Nº4 // Single
  4. ESTUDO PARA PRIMEIRO ALBUM Nº1 // Single