03 maio 2014

BID

O Peu era um dos maiores guitarristas que eu já havia trampado. Tinha muito bom gosto nos seus arranjos, muito groove e peso.

“Vi Peu tocando pela primeira vez ao lado da Pitty e logo me perguntei: quem é esse maluco na guitarra? Depois o vi com Marceo D2 e em outros projetos. E sempre na curiosidade de conhecê-lo e trazê-lo pro estúdio pra gravar. Um dia, de rolê na feira da Oscar Freire de domingo, encontrei o Peu e pude me apresentar, e finalmente conhecê-lo. Na época, eu estava fazendo uma trilha pra um longa-metragem da Laís Bodanzki, “As Melhores Coisas do Mundo” e como tinha uma cena de perseguição bem intensa, pesadona e de guitarra pensei em convidá-lo. Fiz o convite e recebi um OK, e marcamos a gravação. Fui buscá-lo, pois morávamos perto, no Sumaré, perto da MTV. Foi quando vi a pedaleira dele, a maior que já tinha visto nos meus quase 30 anos na música, mal cabia no carro. Bora pro estúdio gravar. O Peu era um dos maiores guitarristas que eu já havia trampado. Tinha muito bom gosto nos seus arranjos, muito groove e peso. A gravação foi ótima, resultado aprovado pela diretora, e passamos a nos falar mais. Quase todo domingo nos encontrávamos na feira, botávamos os papos em dia e dávamos risadas do meio musical e suas loucuras. Por pouco não gravei a demo de um projeto dele, não deu. Vou pra sempre lembrá-lo, do cara da maior pedaleira que já vi, baita guitarrista, gente boíssima e do bem. Que ele esteja pleno e iluminado, onde estiver! Amén! ”

BiD, produtor e músico.

início

ESTUDO PARA PRIMEIRO ALBUM Nº1 // Single
  1. ESTUDO PARA PRIMEIRO ALBUM Nº1 // Single
  2. ESTUDO PARA PRIMEIRO ALBUM Nº4 // Single
  3. ESTUDO PARA PRIMEIRO ALBUM Nº2 // Single
  4. ESTUDO PARA PRIMEIRO ALBUM Nº3 // Single